qual será o futuro do varejo?

No passado, as lojas de departamento foram consideradas disruptivas. Hoje, esse mesmo modelo de negócio enfrenta dificuldades por não ter se adaptado aos novos tempos. Surgidas no século XIX, elas foram importantes na disseminação da moda e na criação de novos hábitos de consumo. Nas décadas de 1970 e 1980, viveram seu auge, mas com as novas tecnologias, muitas dessas lojas tradicionais perderam relevância. Antes da crise causada pelo coronavírus, duas gigantes já haviam encerrado as operações em 2019 (Henri Bendel e Barney’s). Talvez, a falta de inovação no negócio tenha sido a responsável por tirar os fãs de dentro das lojas, deixando-os apenas no espectro da admiração. Agora, em meio a uma das maiores crises da humanidade, outras duas lojas de departamento com valor histórico entram com pedido de falência: a JCPenney e a Neiman Marcus. A Macy’s pode durar só mais alguns meses de portas fechadas. Estamos vendo os maiores impérios de ostentação do American Way of Life ruindo em meio ao caos. Ou seria ruindo atrás da tecnologia!? Enquanto as gloriosas lojas de departamento se tornavam céticas quanto à urgente adesão tecnológica, novas marcas nascidas online corriam (e continuam correndo) para ganhar a atenção dos consumidores. As gigantes Net-à-Porter e Farfetch, ambas nascidas online, se tornaram referência graças ao mix de produtos e a experiência entregue ao cliente. Por outro lado, a gloriosa Bergdorf Goodman reage com coragem e avisa que está renegociando dívidas para continuar servindo. Ao mesmo tempo, um grupo de lideranças da moda assina uma carta assumindo que o mercado precisa ser repensado, trazendo, principalmente, mais sustentabilidade. A lista traz nomes como Dries van Noten, Tory Burch, Joseph Altuzarra e Linda Fargo, da Bergdorf (!). Fora da lista? Grandes grupos como LVMH, Kering, Prada e as marcas Hermès e Chanel. Como bem disse a personagem Taylor, de Billions, “Eventualmente, todos os sistemas precisam morrer”. Ou se transformar, quem sabe?

Data de publicação: 19 de maio de 2020