Comércio Eletrônico em 2020



Com a pandemia, o varejo vivencia o boom do comércio eletrônico, o que traz outra preocupação: o crescimento do lixo produzido por todas essas caixas circulando pelo mundo e, principalmente, o crescimento “invisível” para muitos das taxas de devolução de itens adquiridos em e-commerces. O crescimento acelerado nos faz refletir sobre outra questão: o impacto de tudo que está sendo consumido online e que, no fim, vira mais uma caixa chegando na sua casa. ⠀
30% das compras online são devolvidas, segundo dados da Invesp. Em tempos de pandemia, há a expectativa de aumento levando em consideração que houve aumento de 400% na abertura de lojas eletrônicas e 81% de crescimento em faturamento de e-commerces no Brasil. Além disso, procurando diferenciação e surpreender os clientes, as marcas têm investido cada vez mais em embalagens personalizadas. Em paralelo, houve aumento considerável na produção de lixo nas residências brasileiras. ⠀
É nesse caminho que o mercado de aluguéis e resale cresce, ganhando território em curto tempo. O closet compartilhado, como acreditamos, reduz os impactos ambientais diminuindo a produção exacerbada, além de já prever o retorno das peças – já faz parte do nosso negócio a previsão, assim como pensar em embalagens que possam ser reutilizadas no retorno -quando o ciclo da embalagem termina, ela é reciclada - somos parceiros da @eureciclo - e possibilita compras planejadas e assertivas. ⠀
O futuro é agora e todos nós precisamos nos responsabilizar pela forma como consumimos!
Rent now, buy later!

Data de publicação: 26 de agosto de 2020